Arquivos da Tag: Eleições Municipais 2012

Guerra Santa nas eleições de SP 2012

Nas eleições municipais para prefeitura de São Paulo, no ano de 2012, a religião roubou a cena do debate político. Se antes o tema era restrito à peregrinação de candidatos em busca de apoio dos fieis, de qualquer que fosse a religião, nessa disputa verificou-se uma espetacularização do assunto. Mais do que apoio, os candidatos buscaram negociações diretas e declarações formais às suas candidaturas. Também não faltaram ânimos acirrados. A ascenção do candidato do PRB Celso Russomanno, cujo partido é diretamente ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), apimentou ainda mais a disputa.

Some-se a isso a liderança nas intenções de voto de Russomanno durante todo o primeiro turno da disputa em São Paulo. Em pesquisa Datafolha divulgada no final de agosto, Russomanno já apareceu com 31% das intenções de voto, contra 22% de José Serra (PSDB) e 14% de Fernando Haddad (PT). Esses números transformaram a polarização paulistana PT vs. PSDB em Russomanno vs. Serra/Haddad. Russomanno passou a ser apresentado como “o” candidato da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), com compromissos com esse grupo. Unido ao apoio de uma grande corrente evangélica o crescimento do candidato do PRB foi diretamente associado à sua escalada nas pesquisas.

Sua ligação com a Universal proporcionou uma espetacularização do tema religioso. O candidato foi constantemente questionado sobre o assunto, em algumas ocasiões mostrando irritação. Por diversas ocasiões o candidato do PRB tentou desvincular sua figura e de seu partido da Igreja Universal.

Há de se ressaltar um cenário complexo em torno do debate da religião no cenário político de São Paulo. A força política da IURD, que estabeleceu metas políticas claras no cenário brasileiro, fazendo até mesmo com que a Igreja Católica entrasse na “guerra,” demonstra uma midiatização do cenário que até então era relegada à segundo plano.  Nesse contexto, parece que um dos fundamentos da democracia moderna, a separação entre a Igreja e o Estado e a garantia de que o exercício da cidadania política independe das crenças religiosas de cada um, foi esquecido. Em contrapartida, o Estado deveria garantir a imparcialidade no trato com as diferentes Igrejas e a liberdade religiosa. Porém, como bem explicam Gianpetro Mazzoleni e Winfried Schulz (1999) vivemos na era do remix, onde todas as áreas da vida em sociedade se misturam. A política deixou de ser feita somente por políticos e passou a ser uma atividade que se faz em espaços institucionais. A religião passou a fazer parte do sistema político ajustando-se às demandas dos meios de comunicação.

Tags , , , , , ,

Programação definitiva do Seminário Comunicação e Política

Proposta do Seminário: dar continuidade às atividades desenvolvidas no I Seminário, e que fazem parte do projeto de pesquisa Mídia, Política e Espetáculo do grupo de pesquisa Comunicação e Sociedade do Espetáculo do Programa deMestrado da Faculdade Cásper Líbero. Pretende-se, portanto, debater as relações entre as práticas comunicacionais e a vida política dentro do contexto da sociedade
do espetáculo, tendo como base reflexões sobre o processo político contemporâneo. Serão apresentados trabalhados voltados especificamente para esta reflexão, além de pesquisas que desenvolvem esta reflexão tendo como foco análises das
campanhas eleitorais de 2010 e 2012 e sua cobertura pelas diferentes mídias (impressa e eletrônica).

Programação

– Sexta-Feira: 19 de outubro-tarde

14 horas – Abertura: Cláudio Coelho
14h15 – O poder espetacular integrado no processo político brasileiro atual- Emerson Ike Coan

14h45 – Discursos midiáticos em campanhas presidenciais na América Latina: estratégias e mitos políticos no Brasil, Chile e Venezuela – Katia Saisi

15h15 – Debate

15h45- Intervalo

16 horas – A Cobertura da Eleição Presidencial de 2010 pela Revista Veja – Wagner Barge Belmonte

16h30 – A Publicação dos Resultados de Pesquisas Eleitorais e sua Influência na Intenção de Voto para as Eleições Presidenciais de 2010 – Genilda Alves de Souza

17h – Debate

17h30 – Encerramento

Sexta-Feira – 19 de outubro- noite

19 horas – Abertura: Cláudio Coelho

19h15 – Eleições de 2010 e Mídias Sociais: Newton Duarte Molon

19h45 – O caso Índio da Costa: vida e morte na Sociedade do Espetáculo – Deysi Cioccari

20h15 – Debate

20h45 – Intervalo

21 horas – Quarenta anos entre o bolo e a fome: discurso político, desenvolvimento e desigualdade no Brasil – Vanderlei de Castro Ezequiel

21h30 – Neocoronelismo e Neoclientelismo na política brasileira contemporânea – Gilberto da Silva

22 horas – Debate

22h30 – Encerramento

Sábado – 20 de outubro – manhã
9 horas – Abertura – Cláudio Coelho

9h15 – Eleições Municipais 2012: As políticas culturais paulistanas – Adriana Sá Moreira

9h45 – São Paulo, cidade criativa – eleições 2012 – Ethel Shiarishi Pereira

10h15 – Debate

10h45 – Intervalo

11 horas – O Rádio e sua influência nas eleições municipais de 2012 na cidade de São Paulo – Cláudio Arantes

11h30 – A Comunicação política nas Redes Sociais em um Contexto Histórico e Social- Synésio Cônsolo Filho

12 horas- Conflito no trânsito: o problema da mobilidade resultante da organização social brasileira e sua exposição pela mídia – Mara Rovida

12h30 – Debate

13h00 – Encerramento

 Sábado – 20 de outubro – tarde

14 horas – O lulismo: mito e política – Jaime Carlos Patias

14h30 – Produtos Políticos nas Prateleiras – Gabriel Leão

15 horas – Debate

15h30 – Os movimentos anticapitalistas: para além da sociedade do espetáculo? – Carol Goos

16 horas – A Educação estará Presente? – Fábio Cardoso Marques

16h30 – Debate

17 horas – Encerramento

Tags , , , , , ,