Arquivos da Tag: doutorado

Educador apresentou sua tese de doutorado em forma de história em quadrinhos

GENIAL!!!! Mas já pensaram se fosse aqui no Brasil???

Captura de Tela 2015-07-02 às 17.26.03

Fonte: B9

Por: Flavio Serpa

No final do ano passado, o educador Nick Sousanis recebeu seu doutorado em educação pela Universidade de Columbia com uma tese inusitada: uma história em quadrinhos. Intitulada “Unflattening”, a tese trata da importância do pensamento visual no ensino, fazendo uma relação entre palavras e imagens na cultura ocidental.

Abaixo, você pode ver algumas páginas do trabalho de Sousanis. É interessante ver que a academia não é tão quadrada quanto as pessoas imaginam e, quem sabe, aqui também seja possível conseguir um doutorado sem ficar preso às regras da ABNT.

 

sousanis2
sousanis3
sousanis4
sousanis5
sousanis6
Tags , , , , , ,

Mais chamadas de revistas- Arte, tecnologia e mediação

Car@s colegas:

 

Estão abertas as chamadas de textos para os próximos dossiês temáticos da Revista ECO-Pós: “Arte, Tecnologia e Mediação”, “Tecnopolíticas e Vigilância” e “As Formas do Artifício”.

 

Estas edições contam com a colaboração de César Baio (ICA-UFC), Fernanda Bruno (ECO-UFRJ) e Denílson Lopes (ECO-UFRJ), respectivamente, como editores convidados. Os prazos para a submissão dos artigos e as ementas de cada dossiê seguem logo abaixo.

 

Revista ECO-Pós (http://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos) aceita textos para as seções Dossiê Perspectivas de doutores ou em coautoria com doutores. Essa exigência não se aplica a Resenha. Lembramos que a seção Perspectivas recebe artigos em fluxo contínuo.

 

Cordialmente,

 

Michael Herschmann

Victa de Carvalho

Julio Bezerra

Tags , , , , , ,

LASA 2015

Recebi da professora Vera Chaia chamada para o LASA 2015.

We are currently accepting proposals for LASA2015 in San Juan, Puerto Rico. We would love to receive your proposal for consideration before the deadline of September 8th, 2014 (17h00 EDT). Please find the Call for Papers here:http://lasa.international.pitt.edu/files/Call.pdf

Important: All participants need to be LASA 2014 members to be able to submit proposals and be involved in the proposals. You can become a LASA member by joining here: http://lasa.international.pitt.edu/eng/membership/join.asp. Additionally, section panel participants also need to be section members for 2014. The membership deadline is September 8th, 2014 (17h00 EDT).

 

Notes on participation:

–          LASA Participants are limited to one paper per congress, no exceptions.  (Co-authorship counts towards the one paper limit).

–          Participants can only have 2 active participations per congress (not counting being an Organizer).  The participation may take the form of paper presenter, discussant or chair role.  A participant is able to be a part of a workshop and a panel. (Section members are allowed a 3rd active participation in a Section panel).

–          Participants can only have 2 organizer appearances. Even if a participant wants to organize more than 2 sessions, they can only be recognized in the program book as an organizer for a maximum of 2 sessions.

 

We hope to receive your proposal soon! Please send any questions to: lasacong@pitt.edu or visit our FAQ:http://lasa.international.pitt.edu/eng/congress/faqs_generalinfo.asp

 

Tags , , , ,

Falta criatividade

Acabei passando por cima dessa matéria. Minha ideia nesse blog não é fazer uma clipagem, mas coincidentemente, dia 10 de junho, alguns dias depois do IBERCOM, a Folha de S. Paulo publicou uma matéria com a neurocientista brasileira Suzana Herculano-Houzel. Ela foi a primeira  brasileira a ser convidada a falar no TED Global, famoso evento anual de conferências de curta duração que reúne convidados de várias áreas do conhecimento.

Suzana fala que a academia brasileira não incentiva a curiosidade e, principalmente, a diversidade de pensamento. A neurocientista fala da cultura de nos especializarmos em somente um assunto. Recorro ao Edgar Morin, quando ele diz que o pensamento é complexo e que não podemos pensar a educação sem pensarmos na transdisciplinaridade. Um dos maiores teóricos do nosso tempo está sendo esquecido.

Novamente: o professor Miguel Vicente fez a pergunta de “um milhão de dólares”, no IBERCOM: “Nós estamos em condições de importar e exportar conhecimento?”. Antes da academia falar em preconceito acadêmico, vamos olhar para o nosso umbigo.  De verdade: está na hora da academia ENTENDER o que Morin diz. A educação tradicional, de acordo com o francês, adotou um único modelo de realidade que é postulado nos livros didáticos que são perpetuados geração a geração. Os professores são formados a partir de uma simplificação de mundo onde eles acreditam que é possível simplificar a realidade para ser melhor apreendida ou transmitida a seus alunos. Não é possível ignorarmos um mundo de 140 caracteres. Como não é possível mais, em 2013, uma educação simplificadora e dogmática que  atrofia a aptidão de contextualizar os conhecimentos. Valoriza muito mais a separação que a associação de ideias num todo significativo.Excelente matéria da Folha.

Tags , , , , , , ,

O idioma no IBERCOM 2013

IBERCOM 2013

No seminário de abertura do IBERCOM, “A definición dunha axenda Iberoamericana-científica e política de cooperación”, o tema discutido foi a predominância do idioma inglês na academia. A professora Aimeé Vega Montiel, vice presidente da IAMCR defendeu o idioma espanhol como dominante. Afirmou que os iberoamericanos deveriam trabalhar para o fortalecimento da língua no meio acadêmico.

O professor Francisco Sierra, vice presidente do CONFIBERCOM chegou a falar em racismo e preconceito com quem fala o espanhol e português na academia de língua inglesa. Sierra afirmou que quando espanhois e portugueses enviam seus trabalhos para congressos e revistas americanas, os revisores e organizadores bloqueiam os latinos assim que percebem a procedência do trabalho, sem ao menos lê-lo.

O professor Miguel Vicente fez a grande pergunta: “estamos em condições de importar talentos?”  Somos capazes de atrair investigadores? E, questionou se queremos mesmo estabelecer diálogo com a língua inglesa. Para o professor, é necessário que se fortaleça o inglês para competir.

A professora Maria Immacolatta, da USP, concordou com Miguel Vicente e afirmou que temos que entrar à força na academia americana e que isso certamente não ocorrerá com congressos em que os alunos expõem os seus trabalhos somente por dez minutos.

Eu não concordo em tratar a academia como se fosse um partido político. Acredito que exista um certo preconceito com os latinos ou com qualquer outro que não seja americano. Mas será que não é pela qualidade acadêmica??? Pensar a academia hoje sem ler Manuel Castells é impossível. Pensar a transdisciplinaridade que tanto defendemos sem Edgar Morin é inexistente. E, nenhum deles é americano. Nem vou falar em Maffesoli ou Lipovetsky.

Penso que, muito mais que um problema de idioma, é um problema de produção acadêmica. Concordo com a professora Immacolatta quando ela diz que não será expondo nossos trabalhos com pouco tempo que teremos respeito lá fora. Primeiro precisamos rever nosso método de estudo, deixar de tratar o meio acadêmico com metas numéricas (o aluno precisa de um número “x” de congressos para defender a tese) e olhar mais para a qualidade do que está sendo produzido, do que está sendo fomentado em Congressos  do que precisamente para o idioma. O idioma é secundário. Precisamos garantir produção com qualidade. Não com números.

Tags , , , , , , , , ,

Previsões para quem faz mestrado e doutorado

Tirei esse post do blog Alquimia do Verbo, do professor Luis Mauro. Achei muito engraçado!!!

Leão
A passagem da Lua pelo signo mostra que é hora de começar a trabalhar de madrugada para terminar o texto. Fique atento para a chance de colocar tudo em ordem na bibliografia.

Virgem
Não deixe o ciúme atrapalhar seu trabalho. Se alguém pegou o livro que você queria na biblioteca, parta para outro. A fila anda e não adianta pensar no que poderia ter sido. Concentre-se no agora – o tempo passando, por exemplo.

Aquário
Se um livro parece não gostar de você, não perca seu tempo. Procure valorizar o referencial teórico que você tem. Trabalhe os conceitos, escolha os assuntos, divida os capítulos. O tempo passa. A bibliografia fica.

Áries
A presença do Sol no seu ascendente indica que é um bom momento para ler a bibliografia. Um momento de reflexão e trabalho com os textos. No amor, avise seu “outro significante” que você volta depois da defesa.

Gêmeos
A passagem de Netuno pelos céu pode causar alguma perturbação na redação das citações. Mas é hora de fortalecer os relacionamentos entre os autores e deixar de lado antigas culpas – como não ter citado todo mundo que você leu.

Capricórnio
Não deixe o passado atrapalhar momentos bonitos. O que você não leu, não leu. Há uma enorme bibliografia pela frente que merece muito mais sua atenção, por isso não se apegue ao que foi. Quem curte passado é arqueologia do saber.

Câncer
O dia está propício para a pesquisa de campo, e muitas surpresas podem acontecer durante um levantamento etnográfico. Esteja preparado e confiante em sua metodologia. Dê uma mudada.

Peixes
Aproveite as oportunidades de encontrar novas bibliografias. Relacionamentos novos merecem cuidado e atenção. Autores clássicos estarão sempre lá, esperando por você. E, na dúvida, provavelmente algum filósofo grego já falou do assunto antes.

Escorpião
Com o ascendente próximo de Marte, é hora de grandes definições – metodologia e referenciais teóricos, mas também a pesquisa de campo e as citações. Concentre-se em seus objetivos, gerais e específicos. Não vai faltar bibliografia.

Libra
Acredite em você. Tenha convicção nos textos e lembre-se de confiar em seus pressupostos epistemológicos. Afinal, eles são parte do melhor de você. Não tenha medo de adotá-los na pesquisa de campo.

Tags , , , , , , ,