Arquivos da Tag: Cásper LÍBERO

III Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo

Para quem quiser: convite para o III Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo que acontecerá na Casper Líbero, em SP,  dias 15, 16 e 17 de outubro. Mais informações AQUI

A Sociedade do Espetáculo e a Dialética da Cultura

No ano em que comemora dez anos de existência, o grupo de pesquisa Comunicação e Sociedade do Espetáculo, do Programa de Mestrado da Cásper Líbero, organiza o seu terceiro seminário para debater pesquisas sobre a relação entre comunicação e cultura na sociedade do espetáculo.  A dialética da cultura, a possibilidade dela tanto afirmar como negar as características da sociedade do espetáculo, e dos processos comunicacionais que fazem parte desta sociedade, é o tema que articula as apresentações.

Fazem parte do seminário, trabalhos que discutem a presença da indústria cultural na sociedade contemporânea, e seu vínculo com a mercantilização da cultura, assim como trabalhos que refletem sobre produções culturais e práticas comunicacionais que procuram caminhos alternativos a esta mercantilização. A dimensão política da produção cultural, ou seja, da atuação de jornalistas, intelectuais e artistas, também está presente como objeto de investigação de pesquisas apresentadas no seminário. Receberá especial atenção o contexto contemporâneo, de crescimento de posturas conservadoras, tanto do ponto de vista político quanto do ponto de vista cultural.

Tags , , , , , ,

The Cruel Radiance – Foto de menino refugiado morto na praia atrai atenção para crise

A imagem do corpo de um menino de três anos encontrado à beira do mar na Turquia repercute internacionalmente, se espalha por redes sociais e aumenta a tragédia humana dos milhares que refugiados que tentam diariamente chegar —muitas vezes sem sucesso— à União Europeia.”

Assim começa a matéria da Folha de S. Paulo. O UOL divulgou um texto em que explicava os motivos de ter exposto a fotografia em página principal.

A primeira coisa que me veio a cabeça foram as aulas da Simonetta Persichetti, na cásper Líbero, sobre a urgência de olharmos as fotos de frente.  Bom, já fiz um post sobre isso (aqui) e no meio dos pensamentos sobre essa imagem chocante, lembrei da Simonetta reiterando a Linfield: “essas fotografias nos alertam para a necessidade da vigilância e do raciocínio a respeito do que nos mostram. As fotografias não podem explicar as complexidades das histórias ou suas causas. As fotografias são vislumbres poderosos, sugestões poderosas. A autora pede para os telespectadores tornarem-se mais proativos em vez de se lamentarem eternamente sobre todas as coisas que as fotografias não podem fazer e não nos dizem, e todos os caminhos que não podem percorrer.”

Que as pessoas parem de condenar aqueles que estão fugindo e passem a olhar para essa questão como algo sério e não apenas como “isto é”, mas também como “isto não deve ser”.

 

Every image of barbarism – of immiseration, humiliation, terror, extermination – embraces its oppsite, though sometimes unknowingly. Every imagem of suffering says not only, “This is so”, but also, by implication: “This must not be”; not only, “This goes on”, but also, by implication: “This must stop”. Documents of suffering are documents of protest: they show us what happens when we unmake the world. (LINFIELD, 2010, p. 33).

Linfield firma que uma das vantagens da fotografia é justamente essa, a de trazer para perto qualquer coisa que se possa pensar sobre. Linfield diz que as pessoas muitas vezes falam sobre o horror da guerra, e sobre a necessidade de construção de uma política de direitos humanos, em termos extremamente abstratos, mas esquecem que há a necessidade do engajamento e questionamento sobre o que a guerra realmente faz com as pessoas, o que é que a opressão política, o sofrimento e a derrota fazem. Fotografias, mais do que qualquer outra forma de arte ou qualquer jornalismo, oferecem uma conexão imediata, visceralmente emocional para o mundo. É essa conexão emocional com a imagem que está no coração de seu livro, que ela identificou como o “tecido conjuntivo de preocupação” para os outros que engendra a fotografia, como ela o chama para a necessidade de “integrar emoção na experiência de olhar”.

Na minha dissertação eu passo por esse tema. Na Alterjor tem uma resenha sobre o livro da Susie Linfield.

Tags , , , , , , ,

Chamada: V CONGRESSO INTERNACIONAL DE COMUNICAÇÃO E CULTURA

O V Congresso Internacional de Comunicação e Cultura, promovido pelos programas de Pós-Graduação em Comunicação da PUC, UNIP e CÁSPER LÍBERO, reunirá pesquisadores e outros interessados em dialogar a respeito das relações entre comunicação e cultura presentes em uma das desafiadoras questões da contemporaneidade:

O que custa o virtual?

11, 12 e 13 de novembro de 2015

Faculdade Cásper Líbero

Sala Aloysio Biondi, no quinto andar da Instituição

Avenida Paulista 900 – São Paulo

 

 A submissão de trabalhos vai até 8 de setembro. Mais informações AQUI.
Tags , , , , , , , , ,

A liberdade de expressão e o Charlie Hebdo

‘A liberdade de expressão e o Charlie Hebdo’ será o tema da Aula Magna ministrada pelo sociólogo francês Dominique Wolton na Faculdade Cásper Líbero.

Recentemente o polêmico episódio tomou os noticiários do mundo: em 7 de janeiro de 2015 um atentado terrorista atingiu o jornal satírico francês Charlie Hebdo, em Paris, e resultou em doze pessoas mortas e cinco feridas gravemente. Entre as vítimas, parte da equipe do jornal, além de dois oficiais da policia nacional francesa. Motivado por um protesto contra a edição “Charia Hebdo”, que ocasionou revolta no mundo islâmico o atentado levantou uma discussão que ultrapassou as fronteiras da França: Afinal, quais são os limites para a liberdade de expressão? Centenas de personalidades e anônimos manifestaram seu repúdio ao ataque orquestrado contra o jornal e a frase “Je suis Charlie” espalhou-se pelo mundo na velocidade das redes sociais como um sinal comum para manifestar a solidariedade contra os ataques e em favor da liberdade de expressão.

Formado em direito e pelo Instituto de Ciências Políticas de Paris, doutor em sociologia, Dominique Wolton é atualmente Diretor de Pesquisa do C.N.R.S. Dirige o laboratório “Informação, comunicação e objetivos científicos” desde 2000.

Criou e dirige a Revista internacional “Hermès” desde 1998. Também dirige também a coleção “Comunicação”, por ele criada em 1998. É membro do Conselho de Administração do Grupo France Télévision e de France II, membro da Comissão francesa da UNESCO e Presidente do Conselho de Ética publicitária.

Sua área de pesquisa concentra-se, em inúmeros estudos, na análise das relações entre cultura, comunicação, sociedade e política. Depois de ter escrito muito sobre a mídia, a comunicação política, a Europa e a Internet, atualmente ele estuda as consequências políticas e culturais da globalização da informação e da comunicação. Para Dominique Wolton, a informação e a comunicação são um dos desafios políticos mais importantes do século XXI e a convivência cultural deve ser imperativamente construída, como condição para a terceira globalização.

O evento contará com tradução simultânea.

Sobre o evento

Realização: Coordenadoria de Pós-Graduação e Coordenadoria de Jornalismo
Parceiro: Consulado Geral da França

 

Público

Alunos de graduação dos cursos de Jornalismo e Rádio, TV e Internet da Faculdade Cásper Líbero bem como convidados externos que queiram aprofundar-se na discussão sobre o tema.

Inscrições: Envie previamente, um e-mail com seu nome, RG, curso e nome da instituição que representa para: eventos@fcl.com.br. Feito isto, aguarde a confirmação de sua inscrição.

Tags , , , , ,

O soberano orientador- aos profes Simonetta, Vera, Rose, Cláudio Coelho, Dimas e Luis Mauro

Quando me deu na louca de fazer mestrado eu estava há dez anos no mercado de trabalho, sem nenhuma produção acadêmica e completamente perdida. Eu só sabia que queria estudar com a Simonetta Persichetti. Lá fui eu na Cásper Líbero (SP) fazer processo seletivo (eu morava em Brasília na época) e fiquei meio atônita quando fui aprovada. Não sabia o que fazer. Não sabia como agir.  Larguei tudo em Bsb e me mandei para SP APAVORADA. Dei a sorte da Simonetta ser uma baita professora e uma baita orientadora. Abriu meus olhos para muitas coisas que eu não enxergava e, com o perdão da expressão, teve uma paciência de Jó. Depois de me formar na cásper ainda voltei para as aulas como ouvinte.

Profe Simonetta. Fonte: blog visite São Paulo

Profe Simonetta. Fonte: blog visite São Paulo

Antes de entrar no doutorado eu já tinha “algumas manhas” e  fui mais cuidadosa. O prof. Cláudio Coelho (Cásper, outro mestre incrível!) disse que a prof. Vera Chaia (PUC/SP) pesquisava os assuntos que eu gostava e que seria válido eu dar uma olhada no trabalho dela. Participei como ouvinte de um seminário que ela promoveu, depois fui atrás dela no COMPOLÍTICA 2013 e ainda pedi para assistir as suas aulas como ouvinte (uma coisa que recomendo para todo mundo antes de entrar no mestrado ou doutorado).

Profe Vera. fonte: Isto É

Profe Vera. fonte: Isto É

Quando entrei no doutorado da PUC fiquei um pouco apreensiva por ter vindo do Jornalismo para as Ciências Sociais, mas para minha sorte, outra vez, a profe Vera é SENSACIONAL. Qualquer coisa abaixo disso, não existe. No início de 2015 tive uma crise com meu projeto e em meia hora de conversa com ela voltei revitalizada.

No meio desse processo tive a sorte de conhecer professores incríveis, pacientes e dispostos a dividir conhecimento: o profe Cláudio Coelho é meu segundo orientador sempre. Tenho dúvida, recorro a ele. O professor Dimas Künsch, da Casper foi incrível, paciente (percebam que esse é um requisito básico para lidar comigo) e me apresentou o Edgar Morin (amor eterno). Ainda tive as aulas incríveis de política com o Luis Mauro Sá Martino (cásper) e na PUC conheci, como chamo entre os amigos, a diva Rose Segurado, uma apaixonada pelo que faz!!!

Esse post é mais um desabafo e um aviso: se às vezes a instituição que tu estudas não olha muito pra ti, tenha a certeza de escolher um bom orientador, porque ele faz toda a diferença. Pesquisem, investiguem, assistam aulas, leiam trabalhos…o orientador é nosso parceiro por 2 ou 4 anos. Tem que ser alguém muito f*. Como a Vera e a Simonetta.

Tags , , , , , , , , , , ,

Espetáculo e Poder Simbólico / Comunicação e Imagem

A minha colega do grupo de pesquisa Comunicação e Política na Sociedade do Espetáculo, a mestranda Vivian Santana Paixão passou o link para baixar os livros nos quais eu publiquei capítulos. Também tem nesse link outros livros da Casper Líbero que podem interessar os pesquisadores de comunicação. O link para baixar todos os livros da Casper está aqui. Para baixar os livros em que tenho textos, só clicar nas imagens abaixo.

Espetáculo e Poder Simbólico

Comunicação, Entretenimento e Imagem

Tags , , , , ,

Sebastião Salgado – Da Minha Terra à Terra

Ontem passei numa livraria perto da PUC e acabei comprando o livro “Da Minha Terra à Terra”,  uma biografia do über Sebastião Salgado escrita pela amiga dele, Isabelle Francq. Aqui tem um link para o Estadão falando um pouco do livro. Apesar de ter 200 textos para escrever nas férias e ler uns 600 livros, a obra sobre Sebastião Salgado é algo que vou me dar ao luxo de curtir.

Anyway, num dia de fotografias acabei visitando minha professora Simonetta Persichetti, orientadora do mestrado. Um minuto de conversa com ela e já saio cheia de ideias. Para quem não sabe, a Simonetta é fotógrafa e professora do mestrado na Cásper. Fui aluna dela por dois anos e tive tantas ideias quanto minha cabeça podia aguentar.

Um outro livro sobre fotojornalistas que eu acho que vale a pena ler é o “Cartier-Bresson: o olhar do século”, escrito por Pierre Assouline. Eu até o utilizei na minha dissertação. Jean Paul-Sartre disse: “Cartier-Bresson fotografou a eternidade”.

 

Tags , , ,

10º Interprogramas de Mestrado em Comunicação

A Cásper Líbero aceita trabalhos de mestrandos e mestres para o 10º Interprogramas de Mestrado em Comunicação. De 12 de maio a 12 de junho de 2014 podem ser feitas as inscrições dos resumos expandidos de 2.000 a 2.500 caracteres (incluindo espaços), contendo o tema, indicação do objeto de estudo, metodologia de análise e quadro teórico de referência, além de cinco palavras-chave. 

Mais informações no site da Cásper.

Tags , , , , ,

9º Interprogramas de Mestrado

Data: 22 e 23 de novembro de 2013
Local: Salas de aula 3º andar
Horário: Dia 22, sexta-feira, das 13h30 às 18h. Dia 23, sábado, das 9h às 13h.
Realização: Programa de Mestrado da Faculdade Cásper Líbero

Inscrições gratuitas (Vagas limitadas): Para participar é necessário que você envie, previamente, um e-mail com seu nome, RG, curso e nome da instituição que representa, bem como a indicação da mesa na qual deseja participar em ambos os dias para eventos@fcl.com.br. Feito isto, aguarde a confirmação de sua inscrição.

Eu, apesar de ser orientanda da prof. Dra Simonetta Persichetti, caí na mesa do grande mestre, prof Dr Cláudio Coelho. Fiquei muito feliz!

Captura de Tela 2013-11-12 às 18.15.53

Tags , , , ,