Arquivos da categoria: Pesquisa

Le Monde Diplomatique

Com a mediação do Silvio Bava, com Francisco Fonseca , cientista político e professor da PUC-SP e Alberto Carlos Almeida, cientista político, sociólogo e diretor do Instituto Análise falamos sobre as eleições 2018 no Le Monde. O link está aqui.

Tags , , , ,

Pós-doc com a Simonetta: imagem de novo!

No ano passado eu tive o privilégio de trabalhar com o Rodrigo Lorenzoni, pré-candidato a deputado estadual no RS. Foi uma grata surpresa, depois de anos trabalhando com o pai dele, descobrir que o filho era tão talentoso para política quanto. Um dos anos de glória, como brincamos. Mas as nossas vidas seguiram para lados diferentes.

No final do ano vi o edital de pós-doc da Casper Líbero. Não conseguia acreditar que existia uma mínima possibilidade de voltar a estudar imagem. Quando digo que a Casper Líbero foi uma revolução na minha vida, muito se deve às aulas da Simonetta Persichetti, do professor Cláudio Coelho e do professor Luis Mauro Sá Martino.

Entendam: eu saí de Brasília, em 2012, porque eu queria estudar com a Simonetta. Isso foi muito forte. Lembro de estar na faculdade, em Pelotas, no RS, e meu professor mostrar o livro “Imagens da Fotografia brasileira”. Fiquei encantada. Mas aquilo era muito distante.

Quando finalmente fiz o mestrado orientada por ela (dez anos depois de formada),  foi a tal revolução na minha vida. E, hoje estou no pós-doc supervisionada “por essa tal Simonetta”. Depois de alguns anos de convivência ainda me impressiono com a rapidez de raciocínio  e com a forma de pensar a imagem que só Simonetta tem.  Acho um privilégio poder conviver com pessoas assim. Ainda mais para quem saiu de Caçapava (não que Caçapava não seja o melhor lugar do mundo). Mas jamais imaginaria que estaria convivendo com a autora daquele livro que eu amava durante a faculdade.

Livro da Simonetta

E, de brinde veio o super professor Cláudio Coelho que fez eu me apaixonar por Debord, e o professor Luis Mauro que me instigou a sair do meu lugar de comodidade. O pós-doc tem a duração de um ano e nós vamos estudar o polêmico Bolsonaro. Tenho certeza de que esse blog será atualizado algumas vezes com boas notícias. As primeiras são: fomos aprovadas no Midiaticom, em abril, e no Alaic, em julho.

E, aos desavisados: estudem na Casper. É uma experiência que vale a pena.

Tags , , , , , ,

A morte de um monstro

Eu não tenho como não publicar algo sobre esse monstro que foi o Cony. Quando a Vivian Paixão e eu fazíamos mestrado na Casper Líbero, o professor Claudio Coelho sugeriu que trabalhássemos para o seminário de 2014 do grupo Comunicação e Cultura na Sociedade do Espetáculo, o tema Ditadura Militar. E, para nosso deleite, entrevistamos o Carlos Heitor Cony.  Por horas. Horas. Foi incrível. Aprendi nesse tempo com ele mais do que em alguns anos. Obrigada, Cony. Muito obrigada. (E-book sobre a nossa conversa: https://goo.gl/RrGGmZ)

 

Captura de Tela 2018-01-06 às 12.40.21.png

 

Tags , , ,

Meu artigo e do Vander no site Congresso em Foco.

 

“A tendência do espetáculo de tudo absorver, potencializada pela mídia, esbarra, desse modo, em limites de realização. Como foi no caso da jornalista Vera Magalhães, no episódio do vazamento do áudio do presidente Michel Temer, que, percebendo o “efeito manada” nos comentários, logo fez um mea culpa. Digno. Nesse processo de mídia, política e espetáculo, entendemos que, com todo o jogo de poder e imagens, ainda cabe à imprensa brasileira um papel de destaque, de protagonismo no cenário político. Como diria Millôr Fernandes: “A imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”

A nossa imprensa ainda produz, sim, jornalismo investigativo de qualidade

Tags , , ,

Chamada de trabalhos – Revista ALAIC

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO N. 26 

JANEIRO/JUNHO DE 2017 

Data-limite de envio dos textos: 30.03.2017 

 

Dossiê temático desta edição 

COMUNICAÇÃO, EDUCAÇÃO, TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO 

A naturalização da presença de aparatos tecnológicos nas mais diversas atividades é uma das características da sociedade contemporânea. O desenvolvimento tecnológico, sob o prisma do senso comum, é associado aos conceitos de modernidade e desenvolvimento, mascarando, por vezes, as complexas relações que se estabelecem a partir de determinado modelo tecnológico, bem como seus impactos na economia, na cultura, na educação e no desenvolvimento de uma sociedade. Nesse contexto, cabe ao meio acadêmico assumir a reflexão sobre os efeitos da tecnologia na sociedade.

Este dossiê pretende apresentar o estado da arte dos estudos na área de Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento que se configuram no cenário da pesquisa acadêmica latino-americana e só podem ser pensados sob o prisma interdisciplinar.

O enfoque na comunicação se justifica pelo papel que a mídia desempenha nos processos sociais, fato que ficou ainda mais evidente com a tecnologia digital. O foco na educação é sustentado na incorporação de novas tecnologias nos processos educacionais, tanto presenciais como a distância, bem como na formação de um contexto no qual os educandos e educadores possuem amplo acesso à informação por meio das mídias. A tecnologia é o elo que fomenta a discussão proposta neste dossiê. Por fim, o desenvolvimento resulta do modo como uma sociedade lida com os processos, entre eles a produção e o uso de tecnologias, norteada pelo pensamento de qual sociedade ela quer ser.

Convidamos os estudiosos do tema “Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimentoa nos enviarem artigos científicos inéditos, estudos e resenhas que tenham relação com o tema, até o dia 30 de março de 2017.

Também acolheremos, para a seção de Artigos Livres e a seção de Estudos, artigos de ciências da comunicação que não se encaixam especificamente na temática do dossiê.

 

Assuntos recomendados para este dossiê 

• Perspectivas metodológicas na área de Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento.

• Desafios teóricos da área de Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento.

• Experiências e casos da área de Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento.

• Especificidades da literatura científica no Brasil e no mundo em Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento.

• Políticas públicas para a área de Comunicação, Educação, Tecnologia e Desenvolvimento.

Diretrizes para os autores 

• Os textos devem seguir as normas da Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación.

Acessar: http://www.alaic.org/revistaalaic/index.php/alaic/about/submissions#authorGuidelines

• As submissões devem ser feitas pelo site http://www.alaic.org/revistaalaic/index.php/alaic/index

Coordenadoras do dossiê 

Paula Morabes (UNLP, Argentina) – pmorabes@gmail.com

Luz María Garay (UPN, México) – mgaray90@hotmail.com

Monica Franchi Carniello (UNITAU, Brasil) – monicafcarniello@gmail.com

Tags , , , , , ,

CPI: Comunicação, Política e Imagem

captura-de-tela-2016-12-17-as-18-33-09

Fazia tempo que eu queria publicar essa coletânea. Mas nunca sobrava “tempo”. Doutorado, congressos, artigos..me perdi. Mas depois da minha defesa enfiei na cabeça que esse livro sairia em 2016. Não queria entrar 2017 com nada pendente. Pois aqui está: uma coletânea de textos meus e do Edson Rossi sobre Comunicação, Política e Imagem: CPI. Esse trabalho JAMAIS teria saído do mundo das ideias se não fosse a MEGA Simonetta Persichetti, o MEGA professor Claudio Novaes Pinto Coelho e o meu Pablo. Espero que gostem.

Tags , , , ,

Golpe de 64 e a crise de 2015: o que pensam os intelectuais brasileiros?

Está disponível na Amazon o meu trabalho e da Vivian Paixão sobre o Golpe de 1964 e a crise que culminou com o impeachment da presidente Dilma.

captura-de-tela-2016-12-17-as-10-43-48

Selecionamos os principais nomes de 64, os pensadores de 2015, e percebemos que a maioria ainda estava na ativa. Foi então que resolvemos tentar contato com esses pensadores. E, foi aí que contamos com uma rede de amigos que não podemos deixar de mencionar: Moacyr Lopes Junior, fotógrafo da Folha de S. Paulo, Rosane de Oliveira, editora de política do jornal Zero Hora, Maristela Unfer, editora da Sulina, Luciano Martins, jornalista e Carina Fernandes, professora da prefeitura de São Paulo. Sem essas pessoas, esse trabalho não teria passado de meros devaneios.

Fomos duas vezes ao Rio de Janeiro. Uma para entrevistar Carlos Heitor Cony, outra para entrevistar Ferreira Gullar. Fomos a Porto Alegre para conversar com Juremir Machado da Silva, autor do Golpe Civil Midiático Militar. Conversamos pelo Skype com Alberto Dines e fomos ao encontro do Frei Betto em São Paulo.

Foi um período de intensa pesquisa, de descobertas e muita empolgação. Mergulhamos nesse trabalho. O livro está no formato das entrevistas. Achamos que seria melhor preservarmos cada palavra. Não temos nenhuma pretensão fantástica com esse trabalho. Queremos, sim, contribuir para as pesquisas sobre o golpe de 64 e sobre a crise de 2015, que desencadeou no impeachment de uma presidente. Acreditamos que nossas conversas podem ajudar interessados e pesquisadores a entender quem são os intelectuais que pensam as crises brasileiras.

 

Tags , , , , ,