Arquivos da categoria: imagem

E lá fui eu para meu terceiro ALICE, congresso de Comunicação e Política. Esse ano foi em Bogotá. Sobre a cidade, só coisas maravilhosas. Sobre a mesa de Comunicação e Política: fui coordenadora da mesa e penso que esse foi nosso melhor ano. Os trabalhos estavam mais densos, com discussões aprofundadas e bem dentro do tema.

Um tema que foi recorrente no Congresso inteiro foi o discurso do medo na política. Vários pesquisadores analisando o crescimento do conservadorismo, o discurso do ódio e como isso tem gerado receio na população. Os trabalhos podem ser acessados na página do ALICE.  Sugiro a leitura da nossa mesa. Sem decepções.

 

Sobre o ALICE 2017, Bogotá

Tags , , , , ,

Chamada para o CIEL 2017 e Simpósio sobre quadrinhos

Está aberto o período de submissões de propostas de trabalhos para o CIEL 2017 que acontecerá de 24 a 26 de Outubro, na Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR). As inscrições vão até dia 10/06/2017.

O simpósio HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, ANIMAÇÃO E INTERTEXTUALIDADES  já está recebendo muitos trabalhos relacionados ao tema proposto.

Segue ementa do simpósio:

A proposta do presente simpósio é abordar relações de intertextualidade envolvendo histórias em quadrinhos e animação, tanto as interações restritas entre às duas linguagens quanto aquelas que são descritas entre elas e outros suportes audiovisuais e impressos, buscando revelar desdobramentos estéticos e narrativos destas interações, assim como suas implicações para a composição/reinvenção de gêneros, convenções e tramas. É importante reconhecer o impacto que estas mídias detêm dentro do horizonte da cultura pop, haja vista que comic strips, cartoons, séries de animação, mangás, animes japoneses e longas-metragens animados constituem uma parcela significativa de nossa cultura visual desde o início do século XX, repercutindo até mesmo no vestuário e outros objetos de uso diário, amplamente comercializados. A intertextualidade colabora para a manutenção de uma divulgação maciça e multiplataforma: muitos personagens, temas, histórias, tendências estéticas e convenções narrativas transitam dos quadrinhos para a da animação, construindo redes de hibridação e reinterpretação. Seja pela via da adaptação, de cadeias de referências e apropriações ou outras modalidades de narrativa transmidiática, interações entre os dois meios não são incomuns, mas há outras trocas numerosas, frequentemente descritas entre estas plataformas criativas e o cinema, as séries live-action, a publicidade, os jogos eletrônicos e a literatura, criando uma ampla e complexa tapeçaria de intertextualidades. Buscamos aqui abrir um espaço para a exposição de pesquisas que se debruçam sobre estas cadeias intertextuais e os objetos criativos por elas articulados, bem como para estimular discussões de ordem teórico-metodológica sobre as narratividades geradas através de práticas intertextuais.

Tags , , ,

Qual a cena mais marcante do cinema?

Mudando um pouco de assunto…sou aficcionada por filmes. Quando conheci o Pablo, uma das primeiras coisas que falei para ele foi: “tu sabes qual a cena mais bonita do cinema?” Ele ficou me olhando sem entender muito bem, mas eu precisava falar sobre Tarantino. Não o Tarantino de Hateful eight (sorry, eu tentei!), mas o velho Tarantino.

Então resolvi listar as cenas de filmes que mais me marcaram. Obviamente não são as esteticamente mais bonitas (exceto por Kill Bill, que eu amo mais que tudo), mas são cenas que, aliadas aos diálogos..são as minhas preferidas.  Ps: adoro uma listinha!

1- Oren-Ishii e The Bride na neve (aliás, Oren-Ishii é o nome da minha bike de triathlon)

Quando começa a tocar Dont let me be misunderstood, meu coração chega a parar.

 

captura-de-tela-2017-01-25-as-17-30-36

 

 

2- O Senhor dos Anéis – Aragorn como rei da Terra Média

Sim, eu choro toda vez que Aragorn diz que os hobbits não precisam se ajoelhar diante dele. Aragorn vai ser o nome do meu próximo cachorrinho.

captura-de-tela-2017-01-25-as-17-32-04

 

 

3- Fight Club – Tyler Speech
“Fomos todos criados pela televisão acreditando que um dia seríamos milionários e astros do cinema ou do rock. Mas não vamos ser. Lentamente aprendemos isso. E estamos muito, muito putos”.

Só entreguem o Oscar, vai! Muito amor por essa cena.

 

captura-de-tela-2017-01-25-as-17-33-08

4- 500 days of Summer

Como não ser louca por esse “não casal”? Essa não é uma história de amor.

captura-de-tela-2017-01-25-as-17-34-13

 

5-Zed is dead.

Acho que falo essa frase todos os dias da minha vida, sem exagero. Zed is fucking dead!

captura-de-tela-2017-01-25-as-17-35-04

Tags , , , , , , ,

CPI: Comunicação, Política e Imagem

captura-de-tela-2016-12-17-as-18-33-09

Fazia tempo que eu queria publicar essa coletânea. Mas nunca sobrava “tempo”. Doutorado, congressos, artigos..me perdi. Mas depois da minha defesa enfiei na cabeça que esse livro sairia em 2016. Não queria entrar 2017 com nada pendente. Pois aqui está: uma coletânea de textos meus e do Edson Rossi sobre Comunicação, Política e Imagem: CPI. Esse trabalho JAMAIS teria saído do mundo das ideias se não fosse a MEGA Simonetta Persichetti, o MEGA professor Claudio Novaes Pinto Coelho e o meu Pablo. Espero que gostem.

Tags , , , ,

UOL perde a noção

Orientanda que fui da Simonetta, me chamou a atenção uma matéria no UOL: “A tragédia de um país resumida em uma foto”. Logo comecei a pensar no que a Susie Linfield fala sobre as fotografias terem de ser encaradas de frente (tem uma publicação minha sobre isso: aqui). Para a autora, algumas fotografias precisam se tornar públicas para que as pessoas tomem conhecimento das realidades horríveis escondidas. E, aí retiro uma parte do meu texto sobre The Cruel Radiance, devidamente orientado pela Simonetta (Persichetti):

 

“Linfield diz que as pessoas muitas vezes falam sobre o horror da guerra, e sobre a necessidade de construção de uma política de direitos humanos, em termos extremamente abstratos, mas esquecem que há a necessidade do engajamento e questionamento sobre o que a guerra realmente faz com as pessoas, o que é que a opressão política, o sofrimento e a derrota fazem. Fotografias, mais do que qualquer outra forma de arte ou qualquer jornalismo, oferecem uma conexão imediata, visceralmente emocional para o mundo.”

Mas o que eu não esperava na matéria do UOL era o total descuido ao final da matéria. Ao mesmo tempo que essa imagem choca:

 

Fonte: reuters

Fonte: reuters

 

O UOL coloca essa matéria patrocinada logo abaixo:

Fonte: UOL 31 out 16

Fonte: UOL 31 out 16

Numa total falta de bom senso, de leitura cuidadosa, de tato e de bom jornalismo, sim, o UOL coloca um link patrocinado sobre como perder peso. As imagens de guerra precisam ser encaradas de frente. E, o que está acontecendo com o nosso jornalismo TAMBÉM. Inadmissível. Se o fotógrafo da Reuters teve todo o cuidado ao fazer essa imagem, que pena que nossos colegas jornalistas brasileiros não tiveram o mesmo tato na hora de informar.

Tags , , , , , , ,

II Encoi – Encontro Nacional de Pesquisa em Comunicação e Imagem

A UEL é fantástica quando o assunto é imagem!!! Mais um Encontro sobre o assunto pra gente discutir esse tema fantástico. Segue a chamada:

*****

O Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) convida pesquisadores brasileiros e estrangeiros para o II Encontro Nacional de Pesquisa e Comunicação e Imagem (ENCOI).

Nesta edição, o evento consolida-se como um espaço acadêmico que busca aprofundamento teórico e metodológico no estudo das interfaces imagem/mídia, um campo cujas bases epistemológicas ainda são movediças.

Assim, a imagem, em sua expressão midiática, deverá ser debatida a partir de eixos como semiótica, cinema, imaginário, cultura, educação, ideologia, história e estética, tornando clara a natureza complexa e interdisciplinar da produção visual na comunicação contemporânea.

Envio de trabalhos
Resumos expandidos – 08/04
Resultado – 25/04

Tags , , , , , , , , , , ,

Professor substituto de Fotojornalismo em Uberlândia

A Universidade Federal de Uberlândia procura professor substituto de Fotojornalismo. No edital  há a informação de que precisa de Graduação em Jornalismo ou em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, com Mestrado em Comunicação ou áreas afins com pesquisa na subárea do concurso. Também há vaga para Produção Jornalística em Multimídia. Confesso que essa vaga me chamou atenção. Parece que também haverá seleção (concurso) para professor efetivo. Divulgo aqui assim que souber!

Tags , , , , , ,

Dilma bolada ou Dilma Rousseff na Universidade Rio Branco

A convite da minha amiga doutora Mara Rovida, quinta-feira (8 de outubro) darei uma aula na Universidade Rio Branco sobre meu trabalho  Dilma Bolada ou Dilma Rousseff: quem é a diva da Nação?

Meu trabalho sobre o perfil Dilma Bolada começou bem despretensiosamente, mais por diversão. Mas ao longo das minhas observações pude perceber como a personagem agregou valores que a presidente Dilma não tinha. Por exemplo: a personagem sempre exalta uma feminilidade que a própria Dilma não possui, mas que com a repetição, acaba “invadindo” o próprio perfil da presidente. Dilma também é intitulada “mãe” e “rainha da Nação”, como provo ao longo do trabalho, de uma forma muitas vezes humorada, sendo produto de uma repetição do perfil Dilma Bolada.

Como afirma Douglas Kellner, num mundo de negócios competitivos, o “fator diversão” pode servir de ponte entre os negócios. Por essa razão, as corporações procuram se mostrar de forma mais divertida em seus anúncios, nos ambientes empresariais e comerciais e em seus websites .”

Tanto Dilma bolada quanto Rousseff parecem adecuar-se perfeitamente no conceito de sujeito pós-moderno (contemporâneo), que  é aquele que não possui apenas uma identidade, ele “assume identidades diferentes em diferentes momentos, identidades que não são unificadas ao redor de um ‘eu’ coerente”.

Enfim, meu trabalho está online, e apenas concluo nas palavras de Wolfgang Haug: a aparência descobre alguém, lê os desejos em seus olhos e mostra-os na superfície da mercadoria.

Tags , , , , , , ,

Educador apresentou sua tese de doutorado em forma de história em quadrinhos

GENIAL!!!! Mas já pensaram se fosse aqui no Brasil???

Captura de Tela 2015-07-02 às 17.26.03

Fonte: B9

Por: Flavio Serpa

No final do ano passado, o educador Nick Sousanis recebeu seu doutorado em educação pela Universidade de Columbia com uma tese inusitada: uma história em quadrinhos. Intitulada “Unflattening”, a tese trata da importância do pensamento visual no ensino, fazendo uma relação entre palavras e imagens na cultura ocidental.

Abaixo, você pode ver algumas páginas do trabalho de Sousanis. É interessante ver que a academia não é tão quadrada quanto as pessoas imaginam e, quem sabe, aqui também seja possível conseguir um doutorado sem ficar preso às regras da ABNT.

 

sousanis2
sousanis3
sousanis4
sousanis5
sousanis6
Tags , , , , , ,