Arquivo mensal: outubro 2015

Intelectuais e imprensa em momentos de radicalização política 1964/2015

A Vivian e eu apresentamos ontem, na cásper, no III Seminário Cultura e Política na Sociedade do Espetáculo, nosso trabalho sobre momentos de radicalização política. Pesquisamos muito, conversamos com diversos escritores (Carlos Heitor Cony, Ferreira Gullar, Frei Betto, Alberto Dines e Juremir Machado), viajamos, cansamos, mas valeu a pena. O primeiro passo foi dado.

cultura

Acho que conseguimos passar um pouco da nossa experiência com esses mestres. Todos: Cony, Gullar, Frei Betto e Dines, afirmam que a imprensa era melhor em 1964. Exceto o Juremir machado, que diz que hoje ela está menos verborrágica, mais enquadrada, apesar de continuar com o “viés golpista”.

Juremir nos disse que em 64 a imprensa falava muito e dizia pouco e que hoje está mais objetiva e direta, apesar de ainda muito presenteísta.

Nenhum deles acredita num golpe para depor a presidente. Acham que o Brasil já teve essa experiência, ela não foi boa, e a presidente, além de tudo, foi reeleita democraticamente.

Sobre apoio a ditadura: Dines afirmou que nenhum deles sabia o que viria a seguir da queda de Jango, e que depois que perceberam onde estavam, resolveram reagir. Juremir disse que sabiam, sim, tanto que o jornal Última Hora desde o princípio foi contra o golpe.

Bom, esse é apenas um resumo. Em breve o texto completo estará disponível.

Tags , , , , , , , , , ,

Meet 12 Badass Scientists…Who Also Happen to be Women

O Pablo me enviou essa matéria e eu achei SENSACIONAL!!! Doze mulheres cientistas que são espetaculares.

Everywhere you look, odds appear stacked against women in STEM. Young male scientists receive up to twice as much funding as their female counterparts in Boston’s biomedical research institutions, a global research hub. Only 30% of the world’s researchers are women, and women hold fewer than 25% of STEM jobs in the US. In fact, one recent survey found 67% of Europeans and 93% of Chinese respondents don’t even believe women have the skills to do science — and Nobel Prize-winning biochemist Tim Hunt thinks women cause “trouble” in the lab.

But take a look at the above portrait, which was taken by photographer Bret Hartman at the TED Fellows Retreat in Pacific Grove, California in August 2015. These 12 scientists represent a range of disciplines — from astrophysics, biology, genetics, archaeology, medicine, glaciology, data science and more — and represent 5 countries around the world. They also happen to all be women. And while a portrait like this one shouldn’t be extraordinary in 2015, it sadly is — highlighting a very real, very large gender gap in the sciences.

“This week, a cab driver asked me, ‘What do men say when you tell them you’re a scientist? Because you don’t look like a scientist,’” marine biologist Kristen Marhaver says. “In this picture, I see a twinkle in each of our eyes, saying, ‘No, that’s the thing, sir. I do look like a scientist.’”

Get to know these extraordinary women and their groundbreaking work in the short bios below.

Tags , , , , , , , ,

Dilma bolada ou Dilma Rousseff na Universidade Rio Branco

A convite da minha amiga doutora Mara Rovida, quinta-feira (8 de outubro) darei uma aula na Universidade Rio Branco sobre meu trabalho  Dilma Bolada ou Dilma Rousseff: quem é a diva da Nação?

Meu trabalho sobre o perfil Dilma Bolada começou bem despretensiosamente, mais por diversão. Mas ao longo das minhas observações pude perceber como a personagem agregou valores que a presidente Dilma não tinha. Por exemplo: a personagem sempre exalta uma feminilidade que a própria Dilma não possui, mas que com a repetição, acaba “invadindo” o próprio perfil da presidente. Dilma também é intitulada “mãe” e “rainha da Nação”, como provo ao longo do trabalho, de uma forma muitas vezes humorada, sendo produto de uma repetição do perfil Dilma Bolada.

Como afirma Douglas Kellner, num mundo de negócios competitivos, o “fator diversão” pode servir de ponte entre os negócios. Por essa razão, as corporações procuram se mostrar de forma mais divertida em seus anúncios, nos ambientes empresariais e comerciais e em seus websites .”

Tanto Dilma bolada quanto Rousseff parecem adecuar-se perfeitamente no conceito de sujeito pós-moderno (contemporâneo), que  é aquele que não possui apenas uma identidade, ele “assume identidades diferentes em diferentes momentos, identidades que não são unificadas ao redor de um ‘eu’ coerente”.

Enfim, meu trabalho está online, e apenas concluo nas palavras de Wolfgang Haug: a aparência descobre alguém, lê os desejos em seus olhos e mostra-os na superfície da mercadoria.

Tags , , , , , , ,