Arquivo mensal: janeiro 2015

Chamada e ampliação de prazo!!

Comunicado do prof. Fernando:

 

ALAIC e AIERI (IAMCR na sigla em inglês para Associação Internacional de Estudos de Comunicação Social, www.iamcr.org), têm uma relação histórica.

 

Nos últimos anos, temos realizado ações mais próximas, tais como debates e publicações conjuntas.

 

Recebemos um convite para direção da AIERI/ IAMCR para que organizemos um painel da ALAIC no próximo Congresso da entidade que acontece em Montreal (Canadá) entre 12 e 16 de julho.

 

Inspirado no tema geral y na Chamada do Congresso (abaixo), o título do painel é “Communication, Hegemony and Power: Latin American perspectives”, onde estimularemos debate pautado na trajetória científica das ciências da comunicação na América Latina e perspectivas presentes e futuras de ensino, pesquisa e extensão na região.

 

Para isso, até segunda, 2/2, gostaríamos de receber, por meio do email: fopaulino@gmail.com, propostas de resumos de até 500 palavras de sócios da ALAIC que irão à Montreal para que possamos definir os integrantes do painel.

 

Infelizmente, ALAIC não tem orçamento para oferecer bilhete aéreo ou apoio para hospedagem ou alimentação no Canadá.

 

De qualquer maneira, a presença do integrante no painel será importante não só para nossa Associação, mas também para os sócios que estiverem no painel e na audiência do debate.

 

Atenciosamente,

 

Prof. Fernando Oliveira Paulino

Diretor de Relações Internacionais

Associação Latino-Americana de Investigadores da Comunicação (ALAIC)”

 

COMPOLÍTICA ESTENDE PRAZO PARA SUBMISSÃO

 

Anunciamos a ampliação do prazo para a submissão de resumos para o VI Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política (COMPOLÍTICA), que será realizado de 22 a 24 de abril na PUC-Rio. O calendário atualizado segue abaixo:

 

 

Submissão de resumos expandidos: até 15 de fevereiro de 2015.

Resultado das propostas selecionadas: até 03 de março de 2015.

Envio do paper completo: até 30 de março de 2015.

Realização do VI Congresso da COMPOLÍTICA: de 22 a 24 de abril de 2015.

 

O hotsite do evento, que em breve contará com o novo calendário, é:

www.compolitica2015.com.br

Tags , , ,

'Doutores mal treinados formam novos doutores'

Um dos mais renomados bioquímicos do Brasil, Lewis Joel Greene, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, chamou a atenção para a necessidade de avaliar a influência dos rumos da pós-graduação do país no quadro de estagnação da qualidade da produção científica brasileira, apesar do seu crescimento quantitativo. Segundo o pesquisador,

“O contraste entre o aumento do número de publicações científicas brasileiras e a aparente estagnação de seu impacto na maioria das disciplinas deveria ser uma fonte de preocupação para os decisores políticos responsáveis pela pós-graduação em universidades e a distribuição de bolsas de estudo e financiamento à pesquisa. Como a maior parte da pesquisa acadêmica no Brasil é realizada por estudantes de pós-graduação, é razoável considerar a modificação do nosso sistema de pós-graduação.”

Professor aposentado da USP, ainda atuante como colaborador, bolsista de produtividade do nível 1A do CNPq (o mais elevado) e membro da ABC (Academia Brasileira de Ciências), o pesquisador norte-americano que adotou o Brasil em 1974, aos 40 anos, manifestou essa preocupação em no artigo “É hora de rever o sistema de pós-graduação brasileiro”, publicado ontem (segunda, 26.jan) no blog “SciELO em Perspectiva”.

Números

Greene não apresentou indicadores, certamente por estar tratando de um assunto que dispensa detalhes numéricos no meio especializado em que se manifestou. Antes de prosseguir com sua advertência, mostro para os leitores números relacionados ao quadro por ele comentado.

Para termos uma ideia do que aconteceu quantitativamente na pesquisa e na pós-graduação no Brasil nas décadas mais recentes, aproveitei dados de uma apresentação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), segundo a qual em 1987 havia 37.195 matrículas em mestrados e doutorados em todo o país, segundo dados da Capes. Desse ano a 2013, esse total cresceu 5,5 vezes, aumentando para 203.717.

Nesse mesmo período de 26 anos, o número de artigos brasileiros publicados em periódicos de padrão internacional cresceu de 2.662 para 38.523. Apesar desse aumento de 14,5 vezes em sua produção científica, o país não teve crescimento significativo nos indicadores de qualidade (impacto) de sua produção científica, que na verdade chegaram a estagnar de 2003 a 2013, como destaquei no ano passado em minha reportagem “Produção científica no Brasil fica menos concentrada em SP” (13.out).

Formação

Esses números mostram que a abordagem de Greene tem lastro na realidade. Ele destaca que, apesar de nosso grande investimento nos últimos anos em ciência e tecnologia, “a ênfase continua a ser no número de diplomas e documentos produzidos, mais que na formação do aluno”.

“Em meados da década de 1970, houve muitas discussões sobre o fato de que o Brasil precisava produzir milhares de doutores para chegar a níveis de primeiro mundo em número de doutores/100.000 habitantes. Reconhecia-se que a maioria dos primeiros formados teriam uma formação menos que ideal, porém entendia-se e esperava-se que o sistema se tornasse mais rigoroso com o tempo. Infelizmente, isso não ocorreu e, para piorar a situação, os doutores mal treinados estão agora formando a próxima geração de doutores.”

Finalizando, Greene ressalta que a Capes, as agências de fomento estaduais e as universidades tiveram responsabilidade no processo que levou a esse quadro. O pesquisador sugere que a ABC e a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) organizem um painel para analisar o desempenho da pós-graduação desde os anos 1970 e propor “novas abordagens que podem ser mais eficazes do que a atual em relação à qualidade dos nossos alunos e do empreendimento científico no Brasil”.

Esse não foi o primeiro alerta de que há algo muito errado no crescimento quantitativo da pós-graduação e da pesquisa brasileira. Bem que poderia ser o último.

POR MAURICIO TUFFANI, PUBLICADO NA FOLHA DE S. PAULO DE HOJE, 28 DE JANEIRO.

Tags , , , , , , , ,

Chamada Comunicação, política e poder – ALICE

Caros colegas,

O IV Congresso Internacional de Comunicação Política e Estratégias de Campanha (ALICE), que, neste caso, terá lugar entre os dias 17 de setembro à 19 de setembro de 2015 em Belo Horizonte (Brasil). O tema do ALICE será “Novas Tendências na Comunicação Política: novos atores e novas estratégias em uma sociedade em movimento “.

Vou coordenar a mesa “Comunicação, política e poder” e os convido para enviar trabalhos. O prazo para inscrições é 31 de Janeiro e no momento o título do trabalho é o suficiente para uma apresentação de 20 minutos.

Interessados enviar o título do trabalho para: deysicioccari@gmail.com

 

Tags , , , ,

Chamada para capítulo de livro

Conectando paradigmas:
Pesquisa em Comunicação na América Latina e na Europa
Organizado em parceria pela Associação Latino-Americana de Investigadores da Comunicação (ALAIC) e pela Associação Europeia de Pesquisa e Educação em Comunicação (ECREA), esta Chamada de Capítulos pretende reunir textos que reflitam sobre os principais paradigmas na pesquisa em Comunicação e Estudos de Mídia na Europa e na América Latina. Além disso, o projeto do livro pretende estimular um diálogo entre autores europeus e latino-americanos a partir da produção conjunta dos capítulos do livro.
Para isso, os editores do livro vão selecionar artigos vindos da Europa e da América Latina, de acordo com os eixos propostos abaixo. Cada texto deve ser relacionar com o paradigma selecionado focado em sua própria região, elaborando o papel que esse paradigma tem desempenhado dentro de um dos dois continentes nas pesquisas em Comunicação e Estudos de Mídia.
É necessário que os textos incluam uma perspectiva histórica, uma análise detalhada dos debates atuais e propostas sobre perspectivas futuras. Sempre pertinentes, propostas teóricas e abordagens metodológicas também podem ser incluídas.
No processo de avaliação dos textos, os editores do livro vão convidar os autores que têm capítulos escritos sobre o mesmo paradigma para estabelecer um diálogo on-line que vai levar a uma introdutória (textual) reflexão adicional. Este processo inovador visa construir uma sólida e enriquecedora troca de ideias entre os autores a serem envolvidos no livro, e vai acrescentar uma dimensão comparativa no projeto do livro.
A) Eixos do livro
1. Correntes funcionalistas. Com um desenvolvimento inicial baseado nos Estados Unidos, a influência deste paradigma está presente em atividades acadêmicas, práticas profissionais e sistemas de comunicação em vários lugares do mundo. Os editores esperam receber textos que debatam e promovam reflexão sobre a presença de estudos funcionalistas em pesquisas realizadas na Europa e na América Latina, também lidando com suas relações conflitivas ou consensuais com outras abordagens.
2. Correntes críticas. Da Escola de Frankfurt aos estudos de economia política da comunicação, primeiro na Europa e depois na América Latina, uma grande variedade de perspectivas de análise foi desenvolvida com foco crítico sobre as estruturas de poder (discursiva, econômico etc.). Textos que se encaixam neste eixo da Chamada devem se concentrar em analisar a história dessas perspectivas em uma das duas regiões, estudando cuidadosamente as suas ligações, a sua presença atual na Pesquisa Comunicação e suas relações com outras perspectivas.
3. Correntes culturalistas. Parcialmente desenvolvido como uma crítica sobre as correntes críticas, Estudos Culturais na Europa e América Latina desenvolveram um foco em: representações, mediações sociais que reconstroem o significado de mensagens (de mídia), e em configurações culturais que são inseridas e produzidas. A Chamada pretende receber textos que analisem e atualizem o debate provocado por estudos culturais, analisando suas continuidades contemporâneas na América Latina ou na Europa.
4. Correntes alternativistas. Com origens fora da academia e com uma presença mais forte na América Latina, os autores alternativistas tentaram construir alternativas concretas à mídia hegemônica e aos processos de comunicação. Consequentemente, os editores esperam receber artigos com uma avaliação crítica da história desta abordagem, de suas conexões no campo da comunicação e seus diálogos com as outras perspectivas.
5. Correntes pós-colonialistas e descolonialistas. Perspectivas pós-colonialistas, inicialmente decorrentes da Ásia, propõe uma leitura alternativa da história, enfatizando e recuperando a voz daqueles atores mantidos em silêncio sob o poder colonial ou influência, questionando os modelos de desenvolvimento da modernidade global como um todo. Na América Latina, mas também na Europa, algumas propostas têm adotado essa abordagem, dando início a um diálogo no contexto dos estudos de comunicação, combinando-a com outras vozes que vêm do Sul global. Estamos especialmente interessados em receber textos sobre estes desenvolvimentos muito recentes e as percepções provenientes desses diálogos dentro e em torno da pesquisa em comunicação e nos estudos de mídia.
6. Correntes feministas. Pretendemos receber artigos que estudam as raízes teóricas e as implicações práticas da pesquisa feminista, na Europa e na América Latina. Estas análises fornecem avaliações críticas do papel do gênero, dentro de um horizonte de justiça social e de empoderamento.
B) Processo de Seleção, debate e edição
Para realizar uma seleção preliminar dos autores, solicitamos o envio até 15 de fevereiro de 2015 de um resumo alargado de até 1000 palavras (.doc, .odt ou .rtf) em Inglês ou em espanhol ou em Português para: Miguel Vicente (mvicentem@yahoo.es / miguelvm@soc.uva.es), Leonardo Custodio (Leonardo.custodio@uta.fi) e Fernando Oliveira Paulino (fopaulino@gmail.com).
No início da proposta, deve haver uma identificação clara dos seguintes aspectos:
Nome do(a) autor(a)
– País de origem e / ou residência
– Região: Europa ou na América Latina
– Eixo temático selecionado, de acordo (1 a 6) de acordo com a proposta acima
O(s) autor(es) também deve(m) mencionar se está(ão) planejando participar da Conferência da IAMCR em Montréal (12 a16 julho de 2015, www.iamcr.org), pois os editores de livros estão considerando a possibilidade de convocar uma reunião ou um painel interativo, se houver um número suficiente de autores que possam participar da Conferência. Estar presente na Conferência da IAMCR não é uma obrigação para participar do projeto do livro.
Os editores do livro vão notificar os autores dos resumos dos capítulos selecionados até 6 de Março de 2015. Os editores podem propor indicações para o capítulo a partir do que for lido no resumo encaminhado.
Os autores devem enviar uma primeira versão dos seus capítulos – em Inglês ou em espanhol ou em Português – até 22 de maio de 2015. Cada capítulo terá entre 5000 e 8000 palavras. As propostas de capítulos vão ser revisados pelos editores. Pareceristas externos podem ser adicionados nesta fase, a fim de incluir contribuições adicionais para os capítulos. O resultado da avaliação será comunicado até 22 de junho de 2015, algo que vai permitir que os participantes da Conferência da IAMCR (se o painel sobre o livro for viabilizado) apresentem as versões já revisadas de seu capítulo, como textos da Conferência. A Conferência da IAMCR será organizada em Montreal entre 12 e16 julho de 2015.
Todos os autores deverão enviar em uma nova e semi-final versão até 15 de Setembro de 2015. Estes capítulos semi-finais serão compartilhados entre todos os autores e editores.
Entre 15 setembro e 15 novembro de 2015, os editores do livro vão envolver os autores que escrevem sobre os mesmos paradigmas em uma discussão online, a fim de comparar as articulações destes paradigmas nos dois continentes, com a intenção de produzir textos adicionais, escrito em conjunto pelos autores de cada paradigma e um dos editores, que também serão incluídos no livro. Além disso, neste período, os autores ainda vão poder fazer ajustes em seus capítulos, se desejarem fazê-lo. Os artigos ligados aos debates comparativos deverão estar prontos até 15 de dezembro, em conjunto com todas as versões finais dos capítulos individuais.
Os autores vão enviar os seus capítulos definitivos: 1) em Inglês ou 2) em espanhol ou 3) em Português, até 30 de novembro de 2015. Uma vez que um capítulo estiver finalizado, ele será traduzido do Inglês para o Espanhol ou do Espanhol / Português para Inglês (dependendo de sua língua original). Os editores vão buscar apoio financeiro para esta tradução, mas não tem condições de garantir isso nesta fase. O objetivo é publicar o livro em Inglês e em Espanhol / Português.
A data de lançamento prevista do livro é início de 2017, com a sua apresentação durante a Conferência da IAMCR em 2016.
Editores:
Fernando Oliveira Paulino (ALAIC), Miguel Vicente (ECREA) e Leonardo Custodio (ECREA)
Corpo Editorial:
César Bolaño (ALAIC), Nico Carpentier (ECREA e IAMCR) e Gabriel Kaplún (ALAIC)
Tags , , , , , , , ,

Call for Papers / International Journal of Linguistics & Communication

ISSN: 2372-479X (Print) 2372-4803 (Online)

International Journal of Linguistics and Communication is a quarterly, peer-reviewed international journal publishing articles that make a clear contribution to current debate in all branches of theoretical linguistics. The journal also provides an excellent survey of recent linguistics publications, with around thirty book reviews in each volume and regular review articles on major works marking important theoretical advances. The journal also concentrates on communication research, practice, policy, and theory, bringing to its readers the latest, broadest, and most important findings in the field of communication studies.

The journal is published by the American Research Institute for Policy Development that serves as a focal point for academicians, professionals, graduate and undergraduate students, fellows, and associates pursuing research throughout the world.

The interested contributors are highly encouraged to submit their manuscripts/papers to the executive editor via e-mail at editor@aripd.org. Please indicate the name of the journal (International Journal of Linguistics & Communication) in the cover letter or simply put ‘International Journal of Linguistics & Communication’ in the subject box during submission via e-mail.

The journal is Abstracted/Indexed in CrossRef, CrossCheck, Cabell’s, Ulrich’s, Griffith Research Online, Google Scholar, Education.edu, Informatics, Universe Digital Library, Standard Periodical Directory, Gale, Open J-Gate, EBSCO, Journal Seek, DRJI, ProQuest, BASE, InfoBase Index, OCLC, IBSS, Academic Journal Databases, Scientific Index.

E-Publication FirstTM

E-Publication FirstTM is a feature offered through our journal platform. It allows PDF version of manuscripts that have been peer reviewed and accepted, to be hosted online prior to their inclusion in a final printed journal. Readers can freely access or cite the article. The accepted papers are published online within one week after the completion of all necessary publishing steps.

DOI® number

Each paper published in International Journal of Linguistics & Communication is assigned a DOI® number, which appears beneath the author’s affiliation in the published paper. Click HERE to know what is DOI (Digital Object Identifier)? Click HERE to retrieve Digital Object Identifiers (DOIs) for journal articles, books, and chapters.

IJLC is inviting papers for Vol. 3, No. 1. The online publication date is March 31, 2015. Submission Deadline: February 15, 2015.

You may view the complete list of the journals of the institute.

For any additional information, please contact with the executive editor at editor@aripd.org

Regards,

Dr. Lasisi Ajayi, San Diego State University, U.S.A.

Editor-in-Chief

International Journal of Linguistics & Communication

 

Tags , , ,