Por quê?

Queria escrever aqui com mais calma, mas essa semana está impossível. Tenho que terminar alguns livros, dentre eles, Estética da Fotografia- perda e permanência, de François Soulages. Vou transcrever apenas um trecho da página 26, que desconstroi uma das afirmações mais clássicas de Barthes:

A doutrina do ‘isto existiu’ de Barthes  parece mitológica. Talvez fosse necessário substituí-la por um ‘isto foi encenado’ que nos permitisse esclarecer melhor a natureza da fotografia. Diante de uma foto, só podemos dizer: ‘ isto foi encenado’, afirmando, dessa maneira, que a cena foi encenada e representada diante da máquina e do fotógrafo; que não é o reflexo nem a prova do real; o sito se deixou enganar: nós fomos enganados. Ao termos uma necessidade tão grande de acreditar, caímos na ilusão: a ilusão de que havia uma prova graças à fotografia…

A minha pergunta é: Por que eu tive que ler Le chaimbre claire se todo o mundo resolveu agora desconstruir Barthes na fotografia??? Gah!

Tags , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *